Paraná: trégua nas chuvas possibilita retomada do plantio

O Boletim de Conjuntura Agropecuária referente à semana de 3 a 9 de novembro, divulgado pelo Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento do Paraná (Seab), apontou o retorno do plantio das culturas de verão com a melhora do clima no estado.

Com as chuvas dando trégua, houve possibilidade de retomar a semeadura de culturas de verão, particularmente soja e milho. Também foi possível identificar problemas na produção de arroz, além de danos no trigo e cevada, que estão passando pela colheita.

O relatório divulgado registra que a soja está com 73% dos 5,8 milhões de hectares plantados, enquanto o milho atingiu 95% dos 314 mil hectares previstos para a safra. Com o tempo firme, projeta-se avanço consistente sobretudo da soja, que tem um pequeno atraso no Sul do Estado.

No entanto, as áreas que já estavam plantadas apresentaram piora nas condições. No caso da soja, 92% das lavouras estavam boas e baixou para 89%, enquanto as áreas em situação média subiram de 7% para 9%. No milho houve redução de 83% para 78% para as lavouras consideradas boas, e aumentou de 15% para 19% as medianas.

Produção de arroz no Paraná

O arroz foi significativamente prejudicado pelas chuvas, impactando a estimativa de outubro para o cereal irrigado de 81% da área de 18 mil hectares que já estava plantada.

As inundações nas margens do Rio Ivaí e afluentes afetaram oito dos principais municípios produtores de arroz, que concentram 80% da área destinada ao produto. Estima-se que mais de 10 mil hectares ficaram submersos por pelo menos um dia, podendo resultar em perdas significativas, mesmo com a possibilidade de replantio.

Trigo e cevada

O trigo, com 8% da área de 1,4 milhão de hectares a ser colhida, teve redução de 42% para 23% nas áreas classificadas como boas. Já a cevada teve 70% da área de 87,3 mil hectares colhida, com 28% das últimas áreas classificadas como boas, comparado a 37% na semana anterior.

Feijão e coco

O feijão atingiu 86% dos 111,4 mil hectares plantados avançando apenas 3 pontos percentuais ante a semana passada. Áreas em condições boas caíram de 73% para 62%.

O boletim também aborda o cultivo de coco no Paraná, destacando sua presença em 213 hectares, com colheita de 1,5 mil toneladas em 2022, atingindo Valor Bruto de Produção (VBP)

Carne bovina e de peru no Paraná

O preço da arroba bovina, após altas iniciais em novembro, acumula queda, sendo comercializado a R$ 228,50 nesta semana. Com a proximidade do final do ano, a expectativa é de aumento na demanda a curto prazo, especialmente com a entrada do 13º salário e a preferência.

As exportações de carne de peru pelo Brasil atingiram 53,6 mil toneladas nos três trimestres de 2023, gerando receitas de US$ 158,7 milhões, segundo aponta a Agrostat Brasil/Mapa. O Paraná é o terceiro maior produtor e exportador de peru, mas fica na lanterna comparado aos outros estados da região Sul.

Ovos

A produção nacional de ovos deve atingir 55,5 bilhões de unidades em 2023, representando um leve aumento de cerca de 6,7% em relação ao ano anterior, de acordo com projeções da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).

O consumo per capita no Brasil está projetado para crescer de 241 unidades em 2022 para 242 unidades em 2023. As exportações também devem aumentar, com previsão de 32,5 mil toneladas embarcadas em 2023, comparadas a 9,47 mil toneladas no ano anterior.

https://www.canalrural.com.br/agricultura/parana-tregua-nas-chuvas-possibilita-retomada-do-plantio-de-culturas-de-verao/

Posts Relacionados
Preço do milho não deve superar os custos

Existem mais fatores de baixa para o milho De acordo com informações divulgadas pela TF Agroeconômica, dificilmente os preços do milho irão superar os custos de produção desta safra. “ (Veja Mais)...