Preços da soja supreendem nesta quinta; veja cotações

Mercado brasileiro registrou bons volumes de negócios, com preços firmes ao redor do país. Movimentação nos portos também foi agitada

A quinta-feira (6) foi agitada no mercado brasileiro de soja. Bons volumes de negócios foram registrados, com preços firmes ao redor do país.

Nos portos, a movimentação também foi significativa. A alta de Chicago contribuiu, assim como a agressividade do comprador, que buscava soja disponível.

Preços da soja no Brasil

  • Passo Fundo (RS): subiu de R$ 133 para R$ 135
  • Região das Missões: avançou de R$ 132 para R$ 134
  • Porto de Rio Grande: teve alta de R$ 139 para R$ 142,50
  • Cascavel (PR): valorizou de R$ 129 para R$ 131
  • Porto de Paranaguá (PR): cresceu de R$ 138 para R$ 141
  • Rondonópolis (MT): seguiu em R$ 125
  • Dourados (MS): foi de R$ 121 para R$ 125
  • Rio Verde (GO): aumentou de R$ 121 para R$ 124

Soja em Chicago

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a quinta-feira com preços mais altos. O mercado foi sustentado pela alta do petróleo em Nova York e pela fraqueza do dólar frente a outras moedas correntes.

O cereal se recuperou de sete sessões consecutivas de queda, reflexo do do clima favorável às lavouras e ao plantio nos Estados Unidos, da fraca demanda pela soja do país e da ampla oferta na América do Sul.

As exportações líquidas norte-americanas de soja, referentes à temporada 2023/24, com início em 1º de setembro, ficaram em 189.600 toneladas na semana encerrada em 30 de maio.

A Holanda liderou as importações, com 56.700 toneladas. Para a temporada 2024/25, foram mais 73.800 toneladas. Analistas esperavam exportações entre 200 mil e 800 mil toneladas, somando-se as duas temporadas. As informações foram divulgadas pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

Contratos futuros

Os contratos da soja em grão com entrega em julho fecharam com alta de 22,75 centavos ou 1,93% a US$ 12,00 por bushel. A posição agosto teve cotação de US$ 11,93 1/2 por bushel, com avanço de 19,25 centavos ou 1,63%.

Nos subprodutos, a posição julho do farelo fechou com alta de US$ 3,30 ou 0,91% a US$ 362,80 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em julho fecharam a 44,35 centavos de dólar, com avanço de 1,22 centavo ou 2,82%.

Câmbio

O dólar comercial encerrou a sessão em queda de 0,88%, sendo negociado a R$ 5,2498 para venda e a R$ 5,2478 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,2412 e a máxima de R$ 5,3086.

https://www.canalrural.com.br/agricultura/projeto-soja-brasil/precos-da-soja-supreendem-nesta-quinta-veja-cotacoes/


Posts Relacionados
Preço do milho não deve superar os custos

Existem mais fatores de baixa para o milho De acordo com informações divulgadas pela TF Agroeconômica, dificilmente os preços do milho irão superar os custos de produção desta safra. “ (Veja Mais)...